segunda-feira, 26 de março de 2007

Belas Shopping é inaugurado amanhã

O primeiro centro comercial de Angola, o Belas Shopping, é inaugurado amanhã em cerimónia concorrida que deverá contar com a presença de várias figuras políticas, sociais e do mundo económico.
Trata-se de um empreendimento comercial de grande envergadura na zona de Talatona, a Sul de Luanda, que trará muitas novidades na actividade comercial em Angola. O Belas Shopping nasce sob a luz do terceiro milénio e o signo da modernidade, graças a um investimento total na ordem de US$ 35 milhões. O Belas Shopping tem como investidores a HO Gestão de Investimentos - HOGI, empresa angolana com 70% de participação, e a Odebrecht Angola, que além de ser a construtora do empreendimento detém 30% do negócio.
O Belas Shopping marca a chegada a Angola da indústria de shopping center. Um shopping center é muito mais do que apenas um centro comercial. É um local de convivência, de troca de experiências e de encontros. Satisfaz todas as necessidades dos consumidores num só lugar, com entretenimento e lazer, diversas opções de consumo e alimentação. Um espaço com conforto, comodidade e segurança. O empreendimento está implantado numa área de 119.418,47 m², no bairro de Talatona, na zona Sul de Luanda.
A Enashopp - cujo principal standard é a administração de shopping centers, dentre eles o Shopping Barra, no Estado da Bahia, no Brasil, é a responsável pelo planeamento, comercialização e implantação do shopping angolano e, após a sua inauguração, pela administração e operação do equipamento.
O sócio-director da Enashopp, Edison Rezende, afirma que o empreendimento terá 100 lojas, cadeia internacional de cinema com oito salas de projecção, moderno supermercado (Shoprite), parque de diversões e estacionamento para 800 veículos simultaneamente. O projecto arquitectónico é assinado pelos arquitectos baianos André Sá e Francisco Mota.
"Essa é a primeira incursão da Enashopp fora do Brasil. O nosso grande desafio foi desenvolver o projecto comercial de acordo com a necessidade da cidade e da população de Luanda", explicou Edison Rezende.
A materialização do projecto, três anos depois da sua concepção, resulta dos esforços do representante da HOGI, Décio Silva, e de André Portela, da Odebrecht Angola, que acompanharam a obra nos seus ínfimos detalhes. "A Organização Odebrecht actua no mercado angolano há mais de 20 anos e vem intensificando os seus investimentos no país por acreditar no seu potencial de desenvolvimento", sublinhou Portela.
A HOGI e a Odebrecht Angola acreditam plenamente que o nascimento do Belas Shopping favorecerá a cidade de Luanda, decorrente da instalação de um grande centro comercial, projectado com a previsão de cinco futuras expansões. "Na fase de construção, as obras empregaram 1.000 pessoas. Quando for inaugurado, amanhã, portanto, o Belas Shopping irá gerar, inicialmente, 950 empregos directos e 2 mil e 500 postos de trabalho indirectos", informou Décio Silva, da HOGI, feliz pelo facto de grande parte destes novos empregados serem jovens.
No plano urbanístico e arquitectónico, os investidores do projecto estão conscientes dos benefícios deste empreendimento na cidade de Luanda, particularmente nesta zona onde nascem novos projectos habitacionais, para além da inovação no âmbito da actividade comercial.
O Belas Shopping funcionará todos os dias no horário das 9-22 horas, havendo uma clara excepção para as salas de cinema e os restaurantes que terão uma maior flexibilidade.

1 comentário:

Rui Luís Lima disse...

mais cinema em Luanda uma excelente notícia, ficamos a esperar por notícias dos filmes
um abraço
paula e rui lima