quarta-feira, 16 de maio de 2012

Coisas muito importantes

O ano 2012 já vai no 5º mês. Quero, portanto, agradecer a todos os e-mails
muito educativos que recebi durante o ano anterior.

Estou convencido que sou um caso perdido e que as minhas hipóteses são
praticamente nulas... Mas pode ser que vocês ainda vão a tempo... Isso
porque:


1.     Já não consigo abrir a porta da casa de banho sem usar um
toalhete de papel;

2.     Também já não confio na empregada do bar para me pôr rodelas de
limão no meu copo de água com gelo sem ficar preocupado com as
bactérias que certamente estarão na casca de limão;

3.     Já não consigo sentar-me sobre a colcha da minha cama de hotel
sem imaginar o que aconteceu sobre ela desde que foi lavada pela
última vez;

4.     Tenho relutância em apertar a mão de alguém que tenha estado a
conduzir porque, estatisticamente, o passatempo favorito de muitas
pessoas quando conduzem sozinhas, é esgravatar o nariz;

5.     Já não saboreio o meu petisco favorito em paz porque fico
preocupado imaginando quantos litros de gordura transgénica tenho
ingerido nos últimos anos;

6.     Não consigo tocar na bolsa de qualquer mulher, com medo que ela
o tenha posto no chão de uma casa de banho pública qualquer;

7.     Sinto-me na obrigação de enviar os meus agradecimentos a quem
me enviou um e-mail sobre a tendência que os ratos têm de fazer cocó
na cola dos envelopes, pois agora tenho de usar uma esponja molhada
para fechar cada envelope;

8.     Além disso e pelo mesmo motivo, já não consigo evitar esfregar
furiosamente a parte superior de qualquer lata de refrigerante antes
de abri-la;

9.     Gastei todas as minhas economias, porque as fui enviando para
uma menina muito doente (Penny Brown) que está prestes a morrer pela
1.387.258ª vez;

10.    Estou teso, mas isso vai mudar quando eu receber os $15.000,00
que o Bill Gates / Microsoft e a AOL vão enviar-me por participar no
seu programa especial de e-mail;

11.    Tenho medo de ir tomar uma bebida a um bar, com receio de
acordar numa banheira cheia de gelo com os rins estripados;

12.    Não consigo comer um KFC porque fico imaginando que as suas
galinhas são horríveis aberrações mutantes sem olhos, nem pés, nem
penas;

13.    Não consigo usar desodorizantes porque causam cancro, mesmo que
eu possa ficar a cheirar como um búfalo de água num dia de intenso
calor;

14.    Graças a vocês aprendi que as minhas orações só são
respondidas, se enviar um e-mail para setenta dos meus amigos e fizer
um desejo dentro de cinco minutos;

15.    Por causa das vossas preocupações já não bebo Coca-Cola porque
ela tem também a capacidade de remover manchas da sanita;

16.    Já não meto gasolina sem ter alguém por perto para tomar conta
do carro para evitar que algum maluco de um assassino em série possa
entrar sorrateiramente no banco de trás enquanto eu atesto o depósito;

17.    Já não uso material plástico no micro-ondas porque provoca uns
vinte tipos diferentes de cancro;

18.    E obrigado por me dizerem que não devo ferver um copo de água
no micro-ondas porque pode explodir na minha cara, desfigurando-me
para sempre;

19.    Já não vou ao cinema porque posso ser picado por uma agulha
infectada com SIDA ao sentar-me;

20.    Já não vou aos centros comerciais para evitar ser drogado com
uma amostra de perfume e ser de seguida roubado;

21.    Não atendo o telefone, com medo de que alguém me peça para
discar um número qualquer que me vai fazer receber uma conta absurda
de uma mão-cheia de chamadas para a Jamaica, Uganda, Singapura e
Uzbequistão, etc.;

22.    Já não compro biscoitos no Continente/Sainsbury pois agora
tenho a sua receita sem transgénicos;

23.    Graças a vocês eu agora apenas uso a minha sanita, porque tenho
um medo de morte que uma enorme serpente preta possa estar escondida
sob o assento e trincar o meu traseiro causando-me morte imediata;

24.    Também já não apanho moedas perdidas no chão, porque
provavelmente foram lá colocadas por algum molestador sexual à espera
que eu me abaixe para atacar;

25.    Já não faço jardinagem, com medo de ser picado pela aranha
viúva negra e não chegar a tempo a um centro de socorro;



Se não reencaminharem este e-mail para, pelo menos, 144 mil

pessoas nos próximos 60 minutos, uma grande vaca com diarreia, voará
sobre as vossas cabeças amanhã às 17h00, e as pulgas de 120 camelos,
infestarão as vossas costas provocando o nascimento de uma enorme
bossa cheia de pêlos. Sei que isso irá ocorrer, porque na verdade
aconteceu com o melhor amigo da cabeleireira do amigo do primo do
segundo marido da ex-sogra do vizinho que por acaso é casado com a
irmã da nora de um amigo meu...



Ah! E já agora...


Um cientista alemão da Argentina, após estudo aturado, descobriu que
as pessoas com pouca actividade cerebral, lêem os seus e-mails com os
dedos no rato.



Não se preocupem em tirá-los agora. Já é tarde demais...



PS: A partir do momento que me foi dito num e-mail que os salpicos da
água do autoclismo atingem uma distância de mais de dois metros,
passei a guardar a minha escova de dentes na sala de estar.



Desejo-vos um excelente dia!... e uma vida muito saudável!...

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Poema africano de amor

  Poema de um amor africano**
               Noite de Amor

Satânico é meu pensamento a teu respeito, e ardente
é meu desejo de apertar-te em minhas mãos,
Numa sede de vingança incontestável pelo que fizeste
ontem.
A noite era quente e calma,
Eu estava em minha cama quando, sorrateiramente, te
aproximaste.
Encostaste teu corpo sem roupa no meu corpo nu, sem o
mínimo pudor.
Percebendo minha aparente indiferença, aconchegaste-te
a mim e mordeste-me sem escrúpulos
Até nos mínimos lugares.
Eu adormeci.
Hoje, quando acordei, procurei-te numa ânsia ardente,
Mas em vão.
Deixaste no meu corpo e no lençol provas irrefutáveis
do que entre nós ocorreu durante a noite.
Esta noite recolho-me mais cedo para, na mesma cama,
Te esperar.
Quando chegares, quero agarrar-te com avidez.
Quero apertar-te com todas as forças de minhas mãos.
Não haverá parte do teu corpo em que meus dedos não
passarão.
Só descansarei quando vir sair sangue quente do teu
corpo.
Só assim, livrar-me-ei de ti...
Mosquito filho da puta*


 
Fernando Brandão